Lítio na água pode reduzir o risco de demência

26 Ago, 2017
465 Visitas
iStock_84028507_MEDIUM

Autor:

As pessoas que ingerem água com níveis mais altos de lítio parecem ter um menor risco de desenvolver demência, diz uma equipa de investigadores da Dinamarca.

O lítio é naturalmente encontrado na água da torneira, embora a sua quantidade varie.

Ainda assim, as descobertas, com base em um estudo em que participaram 800 mil pessoas, não são claras. Os níveis mais “altos” de lítio na água reduziram o risco, mas os níveis “moderados” tiveram piores resultados do que os “baixos”.

Os especialistas apontam que se trata de um estudo intrigante e encorajador que poderá insinuar uma forma de prevenir a doença.

O estudo realizado por investigadores da Universidade de Copenhaga analisou os registos médicos de 73.731 pessoas dinamarquesas com demência e 733.653 sem a doença. A água da torneira foi testada em 151 áreas do país.

Os resultados, publicados na revista JAMA Psychiatry, mostraram que os níveis moderados de lítio (entre 5,1 e 10 microgramas por litro) aumentaram o risco de demência em 22% em comparação com níveis baixos (abaixo de cinco microgramas por litro).

No entanto, aqueles que bebem a água com os mais elevados níveis de lítio (acima de 15 microgramas por litro) tiveram uma redução de risco de 17%.

O lítio é conhecido por ter vários efeitos no cérebro e é usado como tratamento no transtorno bipolar. No entanto, o lítio na água da torneira surge em níveis muito mais baixos do que o utilizado na medicina.

As experiências mostraram que o elemento altera uma ampla gama de processos biológicos no cérebro.

Este amplo impacto poderá explicar o padrão misto lançado pelas diferentes doses.