Camuflagem e comunicação explicam cor do Panda gigante

7 Abr, 2017
575 Visitas

O Panda gigante (Ailuropoda Melanoleuca) é o único ursídeo cuja cor do pelo não é monocromática. O seu pêlo é preto e branco, mas por que razão. De acordo com o estudo “Why is the giant panda black and white?”, recentemente publicado na Biology Ecology, os pandas são de cor preto e branco por dois motivos: camuflagem e comunicação.

O estudo realizado por biólogos por duas universidades da Califórnia (Davis University e State University) indica que a maior parte do corpo deste espécime – cabeça, pescoço e tronco – é de cor branca para o animal conseguir camuflar-se na neve: o habitat do Panda gigante fica nas regiões montanhosas, com florestas de bambu, do sudeste da China e algumas áreas de Myanmar e norte do Vietname. O facto dos seus membros inferiores e superiores serem pretos também se justifica pela necessidade de camuflagem, mas nas zonas densas e pouco iluminadas das florestas.

“Entender por que razão o Panda gigante tem esta cor é uma velha incógnita que não foi possível desvendar até agora porque, como nenhum outro mamífero tem essa aparência, não se podia fazer analogias”, explicou Tim Caro, o coordenador do estudo e professor do departamento de biologia da Universidade de Davis da Califórnia, num artigo da instituição.

Fonte: UC Davis

Segundo o mesmo documento, os pandas têm o pêlo preto e branco devido à sua alimentação, centrada no bambu. É um alimento tão leve que estes ursos não adquirem energia suficiente para hibernar, e por isso estão obrigados a camuflar-se em dois habitats diferentes ao longo do ano.

Já as marcas escuras na cabeça – orelhas, olhos e nariz -, por sua vez, são uma ferramenta de comunicação. Os investigadores  acreditam que as orelhas pretas contribuem para intimidar possíveis predadores, como o leopardo, e que as manchas escuras em torno dos olhos estão relacionadas com o seu reconhecimento individual.

Estas conclusões resultaram do estudo detalhado do corpo do Panda gigante. Os investigadores analisaram cada parte do corpo do panda, individualmente, para compará-las entre si e com as mesmas partes do corpo de outros animais – 195 espécies carnívoras e 39 subespécies de ursos, com as quais está aparentado. Depois, vincularam as cores com diversas variáveis ecológicas, genéticas e de comportamento dos animais.

A equipa de Tim Caro não encontrou evidências de que o pêlo preto e branco do panda sirva para regular a temperatura corporal (o branco reflete mais calor que o preto), tal como era sugerido noutros estudos. Caro defende que a cor do panda resulta de “um conjunto de funções que permite camuflar-se em diferentes ambientes e comunicar por traços faciais”.

Fonte: Estudo “Why is the giant panda black and white?”, in Biology Ecology