BNEF: Procura de energia vai aumentar 2% ao ano até 2040

16 Jun, 2017
442 Visitas
iStock-528723770

Autor:

Fontes de energia renováveis, como a eólica e solar, deverão ver os seus custos cair ainda mais nas próximas décadas, já as emissões globais deverão atingir o pico em 2026, antes de caírem 4% (para valores de 2016) em 2040.

Estes são apenas dois dos principais destaques do último relatório da Bloomberg New Energy Finance (BNEF). O relatório “New Energy Outlook 2017” publicado esta semana, prevê que o setor eólico e solar irá representar quase três quartos do valor que se espera que seja investido em nova geração de energia até 2040.

Atualmente, o carvão representa mais de 40% da produção mundial de eletricidade. Mas dentro de 10 anos, o carvão como fonte de energia vai começar a perder forças, permitindo a proliferação de fontes mais limpas, como a energia solar e eólica.

O relatório anual da BNEF faz previsões económicas de longo prazo sobre o setor de energia mundial. O documento que analisa a forma como os mercados de combustível e eletricidade evoluirão até 2040 estima que a energia renovável está a crescer mais rapidamente do que muitos especialistas acreditam.

Fique com alguns dos pontos mais importantes do relatório da BNEF:

– A procura global de energia vai crescer 58% entre agora e 2040 (ou 2% ao ano).

– Dentro de quatro anos, a energia solar será mais barata que o carvão.

– A produção global de energia a partir do carvão vai atingir o pico em 2026.

– Em 2040, 34% da eletricidade virá de energia eólica e solar e o custo da energia eólica offshore diminuirá em 71%.

– Até 2040, a energia solar rooftop representará até 24% da produção de eletricidade da Austrália, 20% no Brasil, 15% na Alemanha, 12% no Japão e 5% nos EUA e na Índia.